sábado, 12 de setembro de 2015

O Meu Confidente É Azul e Imenso

Todos nós temos momentos de nostalgia em que precisamos de parar para  pensar um pouco na vida. A mim, nesses momentos o que me ajuda a pensar é o mar. Não sei bem explicar, mas sinto que tenho uma espécie de ligação espiritual ao mar. Traz-me sempre memórias quando olho para ele, mesmo que não se tenham passado na praia, no mar, ele traz-mas. 

Talvez seja por viver perto do mar e de estar sempre próximo, confio-lhe os meus pensamentos e memórias, embora saiba que ele também pode ser muito perigoso. É como se fosse um confidente mudo, mas tem uma vantagem, não preciso de falar.

Isso é muito bom, porque expressar certas coisas por palavras é muito difícil e nem sempre se consegue ser compreendido pelas pessoas. Não temos todos o mesmo ponto de vista e não queremos encher a cabeça das outras pessoas com os nossos problemas.