quarta-feira, 1 de junho de 2016

Com e Sem Makeup

Na sociedade dos dias de hoje, a maioria das pessoas demonstra ser uma pessoa que não é apenas para poder integrar-se.

Muitas vezes vemos pessoas a ser arrogantes e a valorizar atitudes de outras, que não são as mais corretas, só porque lhes dá um ar superior e faz  com que  tenham mais poder, pois podem influenciar outras.

Hoje em dia aquilo que conta é o dinheiro. É ele que  manda no mundo, por assim dizer, por mais que tentemos não dar muita importância ao assunto ou  fechemos os olhos a corrupções e a  tudo aquilo que se pode fazer com o dinheiro.

É neste contexto que posso afirmar que cada um de nós tem um lado que não mostra a ninguém e que muitas usamos “máscaras” para nos protegermos e para nos integrarmos na sociedade.

No caso das mulheres a maneira de se protegerem é através da maquilhagem pois ajuda a "esconder" os defeitos e a mostrar apenas as melhores qualidades, sentem-se mais confiantes do que sem maquilhagem.


O problema existe quando as pessoas não se aceitam sem maquilhagem. Quando isso acontece as pessoas pura e simplesmente têm um problema consigo mesmas.

Nesses casos, a solução passa pela aceitação daquilo que a pessoa vê ao espelho como um produto do seu crescimento e percurso de vida, e que o corpo nunca cessará de mudar.

A música "Makeup" do AGIR fala um pouco disso, e através dela começaram imensos movimentos a promover a valorização das mulheres para consigo próprias (música aqui).
A qualidade da música é discutível, mas a ideia foi, na minha opinião, muito bem conseguida.

Em conclusão, todos nós temos uma maneira diferente de encarar o mundo e de nos protegermos dos maus olhares, das bocas e das insultos, mas cabe-nos a nós aceitar-nos como somos pois esse é o primeiro passo para os outros nos aceitarem.

Cata