domingo, 27 de dezembro de 2015

Adeus e sê feliz

E no final das contas o meu pai é que tinha razão. Talvez se te tivesse ouvido as coisas teriam corrido de maneira diferente. Já é tarde de mais e não há nada a fazer.
Este era diferente, pensava eu na minha inocência. Era mais disponível e interessado naquilo que eu lhe falava. Participava nos planos que eu fazia para nós. Mas afinal era igual a todos os outros.
Os homens têm imensos pontos comum e um deles é que mesmo que tenham a melhor ração à sua frente, irão sempre por o focinho no lixo. E neste caso era ela. A outra.



Fui tão parva por acreditar em tudo o que me dizia e prometia, mas na verdade não o fazia só a mim. Jogava um jogo duplo, brincava com os meus sentimentos. Apesar de nunca mais te querer ver à minha frente, tenho de admitir de conseguiste marcar a minha vida. Não positivamente, mas marcaste. Ensinaste-me a ser mais desconfiada, a duvidar e a ser insegura. Destruíste-me, mas uma coisa eu te consigo prometer, foste o último! Desejo ainda que sejas muito feliz com ela e que ela te dê tudo aquilo que não viste em mim. Valeu a pena? Não sei mas fizeste a tua escolha, agora aprende a viver com ela.