segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Parabéns, Avô

Parabéns, meu avô, meu super-heroi. Há três anos que não celebro este dia como devia, porque já não te posso dar os parabéns como queria, não te posso abraçar, dizer o quanto te amo...

Tenho tantas saudades tuas que já não me cabem no coração, escorrem pelos olhos... Fazes-me muita falta, sabias? Ainda ontem olhava para o lugar onde tu sempre estiveste sentado e pensava o quanto me faz confusão vê-lo vazio da tua presença.

Desculpa, sei que quando cá estavas não te tratava por tu, mas agora é-me estranho não o fazer... Espero que me perdoes por isso...

Mesmo sabendo que não me podias responder quando falava pelo telefone, eu insistia que queria falar contigo e sorria cada vez que me respondias com as tuas célebres palmas. Guardo tantas outras memórias dos nossos melhores anos: Das idas ao parque e ao pinhal, dos banhos no tanque, das tardes no terreno da tua terra, onde passámos as nossas melhores férias, dos nossos jogos de dominó...



Vais ter mais uma neta, sabias? Quando ela perguntar por ti eu vou falar-lhe do teu sorriso lindo, do teu  grande sentido de humor, e principalmente do quanto gostavas de mim. Nunca vou deixá-la esquecer que és o avô dela, mesmo sem a teres conhecido,tal como eu nunca te vou esquecer.

Espero que um dia possa ver-te de novo e dar-te aquele abraço que ficou por dar, dizer-te aquele "gosto muito de ti" que ficou por dizer.

Parabéns, avô.


Sem comentários:

Enviar um comentário