domingo, 21 de maio de 2017

Peregrinação a Fátima #2

Como todos vós sabem o Papa veio a Portugal no dia 12 de maio, e como não podia deixar de ser, o Santuário de Fátima encheu-se de pessoas para este momento histórico. Os Maristas como uma escola católica proporcionaram aos seus alunos a oportunidade de participar neste evento único e por isso juntaram-se a uma associação que estava a organizar uma peregrinação a Fátima. (Ao todo a associação contava com 2600 participantes!)Eu como aluna Marista achei que seria de aproveitar e inscrevi-me para esta pergrinação.  Não é todos os anos que se comemora o centenário das aparições de Nossa Senhora e não é à toa que o Papa vêm a Portugal.

O grupo Marista saiu do colégio às 23h da noite para apanhar o comboio para Cais do Sodré e depois andar até à estação de Santa Apolónia onde todos os participantes iam apanhar os 3 comboios especiais para Chão da Maças. Depois de fazermos o check-in e começarmos a primeira parte desta viagem tão emocionante chegamos até ao nosso destino onde às 5h da manhã começamos a andar para chegar ao Santuário. Assim que começamos a andar começou a chover imenso por isso tivemos de pôr as nossas capas e ter cuidado para não cairmos, uma vez que o caminho que fizemos era por serra e estava demasiado escuro para vermos por onde íamos. Ao longo da caminhada fizemos várias paragens onde nos foi ditríbuido água, fruta e bolachas. Na última paragem, deram-nos as refeições para os restantes dias e esperamos para que todos os grupos se reunissem para fazermos os últimos km todos juntos. A caminhada foi bastante dura. Não é nada fácil carregar uma mochila às costas enquanto subimos montanhas e serras e levamos com chuva mas mesmo assim conseguimos chegar ao nosso destino e não trocava a experiência por nada deste mundo.


Após a chegada ao Santuário foi-nos feita uma proposta de filmagem da nossa entrada em direto ao qual a associação disse sim. Depois de termos chegado mesmo ao recinto, pudemos comer e descansar até à primeira cerimónia oficial. Até ao final do dia foram feitas algumas cerimónias com o Papa, que chegou no dia 12, e à noite procedeu-se à procissão das velas, um momento mágico e marcante para muitos de nós. 
A dormida foi feita no Santuário e apesar de toda a chuva que se verificou ao longo da noite, dos cânticos entoados sem fim e do frio sentido não foi uma noite tão mal passada e conseguimos descansar o suficiente para o dia seguinte. No dia 13 o Papa presidiu mais uma missa e à canonização de Jacinta e Francisco e deu-se o encerramento das comemorações do Centenário das Aparições de Nossa Senhora.

Para esta peregrinação tivemos de levar uma mochila, que andou connosco sempre, em todos os momentos, com uma muda de roupa, algumas refeições e água, gabardine para a chuva e mais alguns objetos. Uma vez que íamos fazer os 20 km (desde a estação de chão das maças até ao santuário a pé) e tinhamos de levar a mochila às costas não podíamos levar uma mochila muito carregada. 

Esta peregrinação não serviu só para conviver e conhecer pessoas novas mas sim para refletir sobre a vida e perceber o que estamos está a fazer. Se estamos no caminho certo e se há alguma coisa que deveríamos fazer que não estamos a fazer. Foi um  momento de interiorização e de conexão com o nosso eu interior. Para mim foi um momento bastante importante e que serviu para rever algumas das minhas atitudes e comportamentos nos últimos tempos. Se pudesse voltar a fazer tudo de novo não hesitava uma única vez, mesmo com todas as dores e todos os obstáculos que tivemos de enfrentar. Permitiu-me crescer e sinto que fiquei mais completa.

Cata