terça-feira, 11 de outubro de 2016

#Taxipocalipse

Começo este post por dizer que não ando muito de táxi. Porque sai muito caro e simplesmente porque não preciso.

Daí se conclui que a minha opinião se baseia em tudo o que ouvi ontem na televisão, o que não foi pouco, dado o mediatismo deste tema.

Se o objetivo dos taxistas ontem era mostrarem que tinham razão, falharam completamente o alvo. Digo isto porque uma coisa é uma manifestação pacífica, outra é vandalizar carros e bombas de gasolina.

A fama dos taxistas é de "labregos" e mal-formados, o que sinceramente não corresponde inteiramente a verdade. Não é porque as pessoas tem como profissão taxista que são mal-formados e que não tem educação. Na minha opnião os taxistas até são bastante simpáticos e tem uma boa cultura geral, isto pelas vezes em que andei de táxis, o que se calhar não corresponde à generalidade.

Mas à parte de todas estas opiniões e voltando ao tema do protesto de ontem, eu compreendo a revolta que os taxistas sentem, por agora haverem novos meios de transporte, principalmente do aeroporto para outros sitios do país. 

Vamos lá pôr as nossa cabecinhas a trabalhar, o protesto de ontem começou porque a maioria dos taxistas não concorda com o facto de não haver regulamentação para os novos meios de transporte como o Uber. Isto, visto que aos taxistas são impostas uma série de regras e que os preços são tabelados para todos.


Para quem não sabe o Uber é um novo serviço que permite "alugar" um carro, com um motorista que nos leva ao sítio que queremos, mas este novo serviço não tem preços tabelados nem regras. O que os taxistas propoem é que passe a haver regras para este tipo de serviço, pois alegam que lhes tira clientes e não é uma concorrência justa.

Em conclusão, eu acredito que devemos lutar por aquilo em que acreditamos, que neste caso se trata de uma concorrência justa, mas não é preciso chegarmos à violência para transmitirmos a nosso ponto de vista.

Cata