quinta-feira, 30 de junho de 2016

As 12 coisas que quero fazer antes de morrer

Quando a inspiração fica na cama a dormir e nós precisamos de escrever para não deixar o blog ás moscas, estas listas são sempre uma boa opção porque nos damos a conhecer um pouco mais aos nossos leitores.

Antes de morrer eu gostava de:

1. Aprender a andar de bicicleta (não, não consigo andar em cima daquela porcariazinha com duas rodas)

2. Ser madrinha de promessa de alguém do meu agrupamento de Escuteiros

3. Ir á Austrália

4. Terminar a faculdade

5. Levar a minha avó a andar de avião pela primeira vez

6. Ter um emprego que me agrade e que me consiga sustentar




7. Começar uma pulseira da Pandora, assim que começar a receber o meu ordenado

8. Ter um cão

9. Ter filhos (pelo menos dois)

10. Ser madrinha de casamento da minha melhor amiga (ela vai passar-se quando ler isto, mas não faz mal)

11. Ser avó

12.  Voar numa mochila a jato sem deixar cair a dentadura (eu falo em dentadura apesar de já existirem mochilas a jato porque eu acho que só quando eu for mais velha é que elas vão ter um preço minimamente acessível.)


Maggy

terça-feira, 28 de junho de 2016

Nostalgia #2

A rubrica Nostalgia está de volta! Prontos para reviver a infância? Hoje o assunto são jogos, desde os mais simples até ao início da tecnologia.

O primeiro jogo que vamos recordar, e duvido que se tenham esquecido como se joga, é a Macaca.
Como esquecer este jogo tão simples mas que reunia toda a gente durante horas!



 Na segunda posição temos a "Mamã Dá Licença", um jogo infantil em que não é preciso mais nada senão um grupo de amigos e boa disposição.



O  terceiro jogo que gostava de recordar hoje é o Jogo da Glória. Dos primeiros jogos de tabuleiro que tive e nunca me canso dele! Muito simples mas muito divertido.



O quarto jogo a recordar hoje é outro jogo de tabuleiro para toda a família: o Trivial Pursuit. Passava horas a jogar este jogo e acabava sempre por aprender algo novo!



Em quinto lugar vamos lembrar um jogo de cartas, o maravilhoso Uno!



Em sexto e último, mas não menos importante, lugar temos o Game Boy, um brinquedo mais tecnológico. O que eu tive era o Game Boy Advance, e o vosso?

Este foi o regresso á infância número 2. O que acharam, têm sugestões?

Maggy

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Frase da Semana #9



"Necessitamos sempre de ambicionar alguma coisa que, alcançada, não nos torna sem ambição."

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Parabéns a Você!!

Hoje é oficialmente o dia do primeiro aniversário do blog! Passou um ano desde que este projeto começou e não podíamos estar mais felizes: Temos um blog pequeno mas em que falamos do que queremos e temos feedback.

Só temos que vos agradecer por terem tornado este ano tão especial, especialmente àqueles que estão connosco desde o início e ás pessoas que nos ajudaram quando tivemos dúvidas acerca da blogosfera.

Eu (Maggy) tenho que agradecer aos meus pais (que sei que não vão ler isto, mas o agradecimento fica feito) por me terem sempre apoiado e terem ficado felizes por mim a cada "conquista" que o blog alcançava e que me tentaram mostrar os melhores caminhos a seguir.

Ah, e já falta pouco para o Giveaway de aniversário (aqui) terminar! Vamos lá participar, maltinha!

Fugindo um pouco ao tema deste post, quem viu no Instagram que o Nostalgia #2 está a chegar não se preocupe, será o próximo post ;)

sábado, 18 de junho de 2016

Frase da Semana #8



"A amizade desenvolve a felicidade e reduz o sofrimento, duplicando a nossa alegria e dividindo a nossa dor."
Joseph Addison

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Aniversário do blog - Giveaway

Olá, pessoal!
Na próxima semana, dia 22, o blog celebra um ano de existência! Como o tempo passa depressa!

Como sem vocês nada disto seria possível, decidimos recompensar-vos, e a forma que encontrámos foi um giveaway!

Seria um pouco chato ter apenas um vencedor, por isso teremos três vencedores!

O primeiro prémio é um DVD do filme "Lost in Translation", filme de Sofia Coppola. A sinopse é a seguinte:

"Bob Harris (Bill Murray) e Chalotte (Scarlett Johansson) são dois americanos em Tóquio.
Bob é uma estrela de cinema que está na cidade para gravar um anúncio a um wisky, enquanto Charlotte é uma jovem que anda a reboque do marido, um fotógrafo viciado em trabalho (Giovanni Ribisi). Incapazes de dormir, os caminhos de Bob e Chalotte cruzam-se, uma noite, no luxuoso bar do hotel.
Este encontro patrocinado pelo acaso torna-se, rapidamente, numa surpreendente amizade. Charlotte e Bob aventuram-se por Tóquio , tendo por vezes encontros hilariantes com os seus habitante para, finalmente, descobrirem uma nova crença nas possibilidades da vida."



O segundo prémio é o livro Prometo Falhar, de Pedro Chagas Freitas. A sinopse do livro diz o seguinte:
"Prometo Falhar é um livro de amor.
O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta.
O amor.

No seu estilo intimista, quase que sussurrado ao ouvido, Pedro Chagas Freitas leva o leitor aos estratos mais profundos do que sente. E promete não deixar pedra sobre pedra.
Mergulhe de cabeça numa obra que mostra sem margem para equívocos porque é que é possível sair ileso de tudo.

Menos do amor."





O  terceiro prémio são dois cadernos giríssimos da Acessorize (não temos parceria com a marca, foram comprados por nós, assim como o livro e o filme)







Para se habilitarem a estes prémios  só têm que preencher o formulário abaixo. Os vencedores serão anunciados no dia 26 de junho e serão contactados por mensagem privada no Facebook.

a Rafflecopter giveaway

sábado, 11 de junho de 2016

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Nostalgia #1

A falta de inspiração levou-me a criar uma nova rubrica (sem regularidade) sobre aquilo desenhos animados, séries  ou brinquedos da nossa infância.
Para começar esta pequena rubrica, falemos de desenhos animados.

Quem não se lembra do Oliver e Benji? Eu não entendia patavina de futebol, mas adorava ver isto. Desculpem as legendas no vídeo, mas foi o único  genérico que arranjei em português.



Então e este? American Dragon era brutal! Vamos lá recordar mais uma pérola da infância:



Não podia fazer este post sem falar destes desenhos animados, eram mesmo bons! Hoje em dia já não se fazem coisas assim, simples mas muito engraçadas.



Ok, afinal este é que não podia de maneira nenhuma ficar de fora! Agora não entendo o Noddy, mas  de qualquer forma não deixava de me agarrar á televisão.



A Abelha Maia é dos mais velhinhos, mas que nunca passam de moda. Ainda hoje não há ninguém que não saiba cantar pelo menos o refrão do genérico.


Havia muitos mais para recordar, mas o post já vai longo, por isso este é o último flashback da infância, por hoje. Por último, mas não menos importante, aqui vai o Harry e o Balde dos Dinossauros. Não é daqueles que toda a gente conhece, porque até é relativamente recente, mas era daqueles que eu seguia incessantemente.


Espero que tenham gostado!! Se houver alguma coisa da infância que gostavam muito de ver recordada nesta rubrica deixem aí nos comentários, por favor.


Maggy

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Acerca da Mudança de Sexo

O título do post podia sugerir algo preconceituoso, mas não é nada disso.

Ok, lá vou eu comentar notícias... É mais forte do que eu, há coisas que me revoltam!

Então é assim, o Bloco de Esquerda quer aprovar um projeto de lei que permite a mudança de sexo aos 16 anos.

Vou resumir o pensamento desta gente: "Aos 16 anos os jovens são muito novos para consumir álcool, mas já têm capacidade para decidir se querem mudar de sexo". Aos 16 anos ninguém tem inteira capacidade de decidir definitivamente o que quer da vida.

Então e se um adolescente de 16 nos tiver uma crise de identidade, mudar de sexo e depois se arrepender? Aos 16 anos muitas coisas desse género podem acontecer, porque as hormonas estão sempre a causar estragos.

Se não é permitido beber bebidas alcoólicas porque raio há de ser permitido tomar esse tipo de decisões sozinho?

Isto não tem nada a ver com partidos, porque por muito que apoiemos um partido podemos detestar algumas das suas medidas ou vice-versa. Por isso, peço apenas que deixem o partidismo de lado e pensem um pouco nisto.


Maggy

sábado, 4 de junho de 2016

Frase da Semana #6




"Uma das melhores coisas na vida são as maravilhosas surpresas que nos reserva." Marlo Thomas

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Com e Sem Makeup

Na sociedade dos dias de hoje, a maioria das pessoas demonstra ser uma pessoa que não é apenas para poder integrar-se.

Muitas vezes vemos pessoas a ser arrogantes e a valorizar atitudes de outras, que não são as mais corretas, só porque lhes dá um ar superior e faz  com que  tenham mais poder, pois podem influenciar outras.

Hoje em dia aquilo que conta é o dinheiro. É ele que  manda no mundo, por assim dizer, por mais que tentemos não dar muita importância ao assunto ou  fechemos os olhos a corrupções e a  tudo aquilo que se pode fazer com o dinheiro.

É neste contexto que posso afirmar que cada um de nós tem um lado que não mostra a ninguém e que muitas usamos “máscaras” para nos protegermos e para nos integrarmos na sociedade.

No caso das mulheres a maneira de se protegerem é através da maquilhagem pois ajuda a "esconder" os defeitos e a mostrar apenas as melhores qualidades, sentem-se mais confiantes do que sem maquilhagem.


O problema existe quando as pessoas não se aceitam sem maquilhagem. Quando isso acontece as pessoas pura e simplesmente têm um problema consigo mesmas.

Nesses casos, a solução passa pela aceitação daquilo que a pessoa vê ao espelho como um produto do seu crescimento e percurso de vida, e que o corpo nunca cessará de mudar.

A música "Makeup" do AGIR fala um pouco disso, e através dela começaram imensos movimentos a promover a valorização das mulheres para consigo próprias (música aqui).
A qualidade da música é discutível, mas a ideia foi, na minha opinião, muito bem conseguida.

Em conclusão, todos nós temos uma maneira diferente de encarar o mundo e de nos protegermos dos maus olhares, das bocas e das insultos, mas cabe-nos a nós aceitar-nos como somos pois esse é o primeiro passo para os outros nos aceitarem.

Cata